Aplicação de Preenchimentos

Aplicação de Preenchimentos

Preenchimentos cutâneos são utilizados para corrigir pequenas imperfeições da pele da face como sulcos, rugas e cicatrizes, assim como para tratamento de irregularidades em áreas corporais.

Existem diferentes tipos de preenchedores, diferentes densidades de substâncias preenchedoras e ainda diferentes durabilidades de efeito (preenchimentos temporáros (absorvíveis), semi-permanentes e permanentes).

O preenchedor mais utilizado é o preenchimento à base de ácido hialurônico, que tem as características de um preenchedor temporário (absorvível).

O preenchedor temporário (absorvível), com efeito de 6 a 18 meses é o mais seguro a ser utilizado. O uso desse tipo de preenchedor permite avaliação, aplicação imediata de e, acordo com as modificações que nosso corpo sofre em relação ao tempo, nova aplicação após o período de absorção do mesmo.

O ácido hialurônico é uma substância presente nas células e nos tecidos do nosso corpo, de modo que é uma substância bastante segura. A pele possui grande quantidade dessa substância em sua constituição, portanto, estamos repondo volumes com uma substância conhecida pelo nosso corpo em um tecido onde ele se encontra diminuído.

A aplicação é um procedimento realizado de forma simples e rápida em consultório, com duração de 30 a 40 minutos. O produto é injetado com uma agulha muito fina apos o uso de pomada anestésica ou ainda anestésico injetável, se houver necessidade, para maior conforto do paciente.

A área tratada pode permanecer levemente inchada ou avermelhada durante 12 a 24 horas, mas essa reação é discreta, não impedindo atividades habituais.

Deve-se evitar calor, bem como manusear o local de aplicação. Usualmente, não há necessidade de maiores cuidados, mas o uso de gelo local e anti-inflamatórios por um a dois dias podem ser necessários. Pode-se utilizar maquiagem no dia seguinte para camuflar algum área de vermelhidão.

É pouco freqüente o surgimento de equimoses (manchas roxas), e nestes casos o paciente deve evitar exposição ao sol, para que não ocorram manchas na pele.

Os resultados são imediatos e seus efeitos duram, em média, de 6 meses a 18 meses de acordo com o tipo de preenchedor utilizado e o local de aplicação. Fatores individuais como idade, exposição prévia ao sol, espessura da pele podem alterar o intervalo das aplicações.

NA MÍDIA:

Portal Terra:
Ácido hialurônico em excesso pode alterar expressão facial

Clique Aqui para acessar a participação do Dr. André sobre mitos e verdades.

Portal R7:
Preenchimento Labial: Boca carnuda na medida certa.

Clique aqui para acessa a participação do Dr. André.

REPORTAGEM:
Preenchimento facial com ácido hialurônico é o método mais seguro e eficaz
Especialista alerta para os riscos de complicações e deformidades de graus na utilização de substâncias definitivas

Envelhecer faz parte do processo natural da vida. Mas ninguém quer se olhar no espelho e ver as temidas rugas e linhas de expressões. Hoje, para atenuar os efeitos do tempo é possível recorrer à técnicas minimamente invasivas antes de partir para uma cirurgia. Segundo dados da Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos, o preenchimento facial está entre os cinco procedimentos cosméticos mais realizados em 2013. Nos Estados Unidos, foram realizadas mais de 2,2 milhões de aplicações, número que representa um aumento de 13% em relação a 2012. O preenchimento mais consagrado é o com ácido hialurônico, uma substância presente no nosso organismo e que ocupa os espaços entre as células da pele.

O ácido hialurônico, quando injetado, tem características de gel e é facilmente assimilado pelo corpo, preenchendo o local escolhido com bastante naturalidade. Aos poucos, o líquido é absorvido e não deixa vestígios de sua aplicação, o que é um aspecto bastante importante em relação a outros preenchedores capazes de provocar reações ao longo do tempo.

Segundo o cirurgião plástico, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Dr. André Ferrão Vargas, o período de absorção do ácido hialurônico pode variar de seis meses a um ano e meio, dependendo das características de durabilidade do produto e do organismo de cada um. “Esse tratamento oferece bons resultados, amenizando sinais de envelhecimento e corrigindo imperfeições e perdas de volume da face sem oferecer maiores riscos. Diferente de métodos permanentes, como aplicações de PMMA, que apresentam complicações como reações alérgicas que podem causar deformidades faciais e quadros crônicos de dor”, ressalta.

O procedimento é realizado em consultório. Utiliza-se um creme anestésico e com uma pequena agulha, o líquido é aplicado nas regiões com imperfeições. “O método pode ser usado para corrigir rugas finas, sulcos faciais como o nasogeniano (bigode chinês), definir melhor os lábios, acentuar a região malar (maçã do rosto) e tratar cicatrizes deprimidas de cirurgias faciais ou de complicações da acne”, explica o cirurgião plástico.

Após o preenchimento. O especialista aconselha repouso da musculatura no dia da aplicação e gelo para que não ocorram inchaço e pequenos hematomas e ainda se necessário anti-inflamatório. “De um modo geral, esse processo não causa dor, apenas um leve desconforto. O preenchimento com ácido hialurônico promove o restabelecimento do volume facial de forma natural, segura e eficaz, desde que seja realizado por profissional capacitado”, conclui Dr. André.

Complicações da Aplicação de PMMA (Polimetilmetacrilato) – Bioplastia

A experiência do Dr. André Ferrão Vargas no manejo das complicações se tornou referência em trabalho publicado com Professor Ivo Pitanguy e a Dra. Natale Gontijo de Amorim.

O presente trabalho foi apresentado e premiado no Congresso Brasileiro de Cirurgia Plástica e a seguir publicado na Revista Brasileira de Cirurgia Plástica.

Preenchedores sintéticos (aloplásticos) de duração permanente são altamente perigosos ao nosso organismo por gerarem reações adversas relacionadas a uma substância estranha ao nosso corpo. As reações podem surgir como inflamação, endurecimento, alteração de forma, deformidade e mesmo infecção, podendo ocorrer no momento da aplicação da substância ou anos após a sua aplicação.

Essa substância apresenta restrições de uso, de modo que o Conselho Federal de Medicina se pronunciou contra a aplicação do PMMA alertando para seus riscos.

Em trabalho premiado e publicado na Revista Brasileira de Cirurgia Plástica, aponto os riscos da aplicação do PMMA e do silicone liquido.  As complicações a curto, médio e longo prazo são muito graves e o tratamento é difícil. Aponto no artigo condutas clínicas para o tratamento de deformidades geradas pelo uso da substância, assim como o tratamento cirúrgico de casos selecionados por meio de cirurgia de face com incisões do tipo facelifting.

Se você recebeu aplicações de PMMA ou silicone liquido marque uma avaliação para saber mais a respeito das repercussões dessas substâncias no seu organismo.

Tratamentos simples em consultório podem impedir que as reações se manifestem de maneira mais agressiva.

Aos pacientes que apresentam casos mais graves de deformidade, a informação de que existe tratamento é algo importante e que uma avaliação especializada pode modificar a evolução das deformidades relacionadas as reações geradas pela substância.

IMPORTANTE:
A avaliação do paciente em consultório é fundamental para o diagnóstico correto e a indicação do plano de tratamento adequado. Aguardo seu contato para, de maneira individualizada, orientar e planejar o seu procedimento cirúrgico.

WhatsApp chat